CPI do Proer deve convocar Malan

O deputado Alberto Goldman (PSDB-SP), indicado para ser o relator da CPI criada para investigar o Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (Proer), admitiu chamar o ministro da Fazenda, Pedro Malan, para dar explicações à comissão sobre o processo de reestruturação financeira dos bancos. O Proer liberou, a partir de 1995, pelo menos R$ 20 bilhões para cerca de 20 bancos que alegavam estar em dificuldades. Segundo Goldman, será importante a participação não só de Malan, mas de todos os que foram responsáveis pelo processo que acabou levando à necessidade de criar o Proer. "Por que se chegou a isso? Que medidas foram tomadas, e como evitar que se repita a crise no sistema financeiro?", indagou Goldman, referindo-se à amplitude que pretende dar à discussão sobre o assunto na CPI. O deputado disse considerar importante saber quais as regras que, existentes na época, parmitiram aquela situação. Ele acha importante ouvir também não só o presidente do Banco Central à época - Gustavo Loyola -, mas todos os que possam dar informações sobre a estrutura normativa que não impediu que ocorressem problemas com os bancos, porque, segundo Goldman, o governo, na época, assegurava que haveria uma "débacle financeira" caso o Proer não fosse instituído.Goldman disse não acreditar que a CPI será utilizada políticamente, pelo fato de Malan ser um dos nomes cotados para se candidatar à sucessão do presidente Fernando Henrique Cardoso. Em resposta a uma pergunta sobre a possibilidade de a CPI prejudicar as chances eleitorais do ministro da Fazenda, o deputado tucano afirmou que a presença de Malan na comissão poderá ser negativa ou positiva, de acordo com o conteúdo de seu depoimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.