CPI do Proer convoca Malan e Fraga

A CPI do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro (Proer) aprovou a convocação de várias autoridades, entre as quais o ministro da Fazenda, Pedro Malan, do presidente do Banco Central (BC), Armínio Fraga, e ex-dirigentes da instituição, como Gustavo Franco e Pérsio Arida, para que prestem depoimento na Câmara. Amanhã, a CPI vai ouvir o ex-presidente do BC, Gustavo Loyola, que será questionado pelos parlamentares sobre o plano de socorro aos bancos. Criada por sugestão da oposição, a CPI também vai tomar depoimentos dos ex-banqueiros Ângelo Calmon de Sá (Banco Econômico), Marcos Magalhães Pinto (Banco Nacional), José Eduardo Andrade Vieira (Bamerindus). O objetivo da oposição é apurar a suposta prática de irregularidades no auxílio ao Econômico - que deu origem ao BBV -, e no Bamerindus (HSBC) e Nacional (Unibanco). Mas a base do governo tentará restringir o trabalho da CPI na discussão sobre a necessidade do programa de socorro aos bancos. Segundo o relator da CPI, Alberto Goldman (PSDB-SP), os integrantes da comissão não podem ficar tratando apenas do "problema penal" no que diz respeito à atuação do Ministério Público sobre a prática de irregularidades na gestão dos bancos e na execução do Proer. "Essa comissão poderá cumprir um papel importante: mostrar que o programa não existe para salvar banqueiro, mas para proteger o correntista do banco", disse o relator.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.