Reuters
Reuters

CPI do HSBC adia depoimento do operador do PP no caso Swissleaks

Henry Hoyer é apontado pela Polícia Federal como segundo operador do PP no esquema de corrupção em contas de brasileiros abertas na filial do banco na Suíça

Bernardo Caram, O Estado de S. Paulo

16 Abril 2015 | 09h48


BRASÍLIA - A CPI do HSBC cancelou o depoimento de Henry Hoyer que seria realizado nesta quinta-feira, 16. Ele é apontado nas investigações da Polícia Federal como o segundo operador do Partido Progressista (PP) no esquema de corrupção. Originalmente, os senadores iriam votar requerimentos no início da sessão e ouvir Hoyer em seguida. 


A assessoria da comissão informou que a decisão foi tomada pelo presidente da CPI, senador Paulo Rocha (PT-PA), em conjunto com os outros membros do colegiado. De acordo com o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), o depoimento foi adiado para que mais informações sobre o caso sejam coletadas antes da oitiva. "Hoje, nós temos apenas a informação de que ele foi o sucessor de Alberto Yousseff na Lava Jato", disse, ressaltando que a CPI pretende votar nesta manhã 50 requerimentos com pedidos de informações.


A CPI do HSBC foi instalada com o objetivo de investigar irregularidades em contas de brasileiros abertas na filial do banco na Suíça. A origem da investigação foi o vazamento, no início deste ano, de uma lista com nomes de correntistas do banco e a descrição dos valores aplicados.

Mais conteúdo sobre:
CPI HSBCHenry HoyerPP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.