CPI do Banestado suspende sessão após divergências

Foi suspensa nesta manhã a sessão da CPI Mista do Banestado, porque foi iniciada sessão deliberativa do Senado. A sessão da CPI, destinada à apreciação e votação do relatório final do seu relator, deputado José Mentor (PT-SP), havia sido iniciada com impasse entre o próprio Mentor e o presidente da comissão, senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT). O relator pediu a suspensão da sessão, alegando falta de quórum e o início de sessão deliberativa do plenário do Senado, o que, regimentalmente, obriga as comissões a suspenderem seus trabalhos. Em seguida, porém, quando se completou quórum para que a sessão da CPI fosse iniciada, Antero abriu os trabalhos e apresentou relatório alternativo, no qual retirou o nome do ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco da relação das pessoas cujo indiciamento Mentor pede em seu relatório e incluiu o atual presidente do BC, Henrique Meirelles, os ex-diretores do banco, Luiz Augusto Candiota e Beni Parnes, e o ex-presidente do Banco do Brasil, Cássio Kasseb, por evasão fiscal e remessa ilegal de divisas para o exterior, além do ex-governador paulista Paulo Maluf, pelos mesmos crimes e por desvio de dinheiro público. Por seu turno, Mentor argumentou que não tinha condições de apresentar seu relatório, porque não teve atendidos por Paes de Barros vários requerimentos pedindo informações. Entre os pedidos não atendidos, ele citou a entrega à CPI, por ele requisitada, dos documentos sobre a transferência do extinto Banco Excel Econômico para o espanhol BBV pelo ex-controlador do Excel, ao Ezequiel Nasser.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.