CPI do Banestado suspende depoimento de Pitta

A CPI do Banestado suspendeu a sessão em que seria ouvido o ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta, diante da inviabilidade de o depoimento ajudar nas investigações, com as duas liminares concedidas a ele, pelo ministro do STF, Antonio Cesar Peluso. Uma das liminares obrigava a sessão a ser fechada, sem a presença de assessores ou de parlamentares que não sejam membros da CPI e a outra liminar desobrigava Pitta de assinar documento de que falaria a verdade na sessão. A CPI decidiu recorrer ao Supremo e só depois de derrubar as liminares fazer uma nova convocação ao prefeito de São Paulo. A decisão de suspender a sessão foi levantada pelo deputado Edmar Moreira (PL-MG). Segundo ele, seria uma "afronta" para o Congresso se submeter a decisões dessa natureza. A líder do bloco governista, senadora Ideli Salvatti, apoiou a medida, alegando que se desse conhecimento às liminares do ministro Peluso, o Congresso estaria abrindo mão da prerrogativa de realizar CPIs.Pelluso já concedeu, em decisão anterior, liminar ao contrabadista Law Kin Shong para impedir a divulgação de seu depoimento na CPI da Pirataria. Ele foi indicado no ano passado ao Supremo, por sugestão do ministro das Justiça Marcío Thomaz Bastos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.