CPI do Banestado diz ter localizado conta de Pitta em Nova York

Integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Banestado, que investiga a evasão de divisas do País, afirmam ter localizado em Nova York uma conta conjunta do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta (PSL) e de sua ex-mulher, Nicéa Camargo. Segundo os deputados, a conta foi aberta em dezembro de 1994 no Commercial Bank, com depósito de US$ 110 mil, e encerrada no início de 1997, quando Pitta deixou de ser secretário municipal das Finanças da gestão Paulo Maluf (PP) para assumir o comando da capital paulista.Relator da CPI, o deputado José Mentor (PT-SP), que esteve em dezembro nos Estados Unidos junto com Nicéa para checar a existência da suposta conta, diz que o Commercial Bank fechou e foi substituído pelo North Fork Bank. As informações enviadas pelo novo banco, afirmou Mentor, chegaram na semana passada. Segundo ele, são 50 folhas contendo as movimentações da conta e 30 folhas de extratos. A CPI, que não mostrou a documentação, vai convocar Pitta para depor. Por meio do secretário da Comunicação de sua gestão, Antenor Braido, o ex-prefeito negou ter aberto a suposta conta. ?Não há conta nenhuma.?Nicéa conta que, no ato da abertura da suposta conta, questionou o ex-prefeito sobre a origem do dinheiro. ?Ele disse que era uma indenização recebida da Eucatex (empresa onde Pitta trabalhou.? Ela disse ainda que uma funcionária do banco chegou a comentar que eles teriam atenção especial por terem sido indicados por Maluf. ?Nicéa é mentirosa, não merece nenhuma credibilidade, já foi processada por outras mentiras (...) e condenada pela Justiça. Tudo o que ela diz merece tanta credibilidade quanto uma nota de três reais?, rebateu Maluf, por meio de seus assessores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.