CPI do Apagão deve ser criada terça; oposição quer relatoria

Os partidos de oposição no Senado vão lutar pela relatoria da CPI do Apagão Aéreo, que deverá ser criada na próxima terça-feira. Eles terão direito a indicar seis senadores. Cada comissão tem um relator e um suplente. O bloco governista, que terá uma cadeira a mais, adotará tática diferente. O líder Waldir Raupp (PMDB-RO) vai pedir para que a Mesa do Senado adie ao máximo a instalação da CPI, visto que a Câmara também se prepara para instalar uma investigação igual.Ao brigar pela relatoria, os partidos de oposição visam não só a infernizar a vida do governo. Querem também reduzir a desvantagem numérica em relação aos aliados do Palácio do Planalto. Se optassem pela presidência, perderiam um voto no plenário. Deixando o cargo para o governo, acreditam que o equilíbrio será total, pois cada bancada ficará com seis integrantes. "Não podemos nos dar ao luxo de perder um voto. Por isso queremos o cargo de relator", disse o líder do PFL, José Agripino Maia (RN).ComposiçãoPelo PFL, já pediram para participar da CPI os senadores Romeu Tuma (SP), César Borges (BA) e Antonio Carlos Magalhães (BA), que está doente. O PSDB deverá indicar dois senadores e o PDT um. Este último partido vive um dilema. É da base do governo. Tem até o ministro da Previdência, Carlos Lupi, que é presidente licenciado da legenda. Na Câmara, o PDT está totalmente integrado à bancada governista. No Senado, porém, integra a oposição, pois o senador Cristovam Buarque (DF), ex-ministro da Educação, faz oposição sistemática a Lula. Da parte do governo, serão sete senadores, sendo quatro do PMDB e três a serem divididos entre o PT e os outros partidos da base aliada.Por enquanto, o líder Waldir Raupp nem está procurando saber o nome dos senadores que estão interessados em participar da CPI. "Vou argumentar com o presidente da Casa (Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, aliado do Planalto) que será bom esperar a Câmara instalar a sua CPI do Apagão Aéreo. Se isso ocorrer, acho que o Senado deve abrir mão da sua, porque seria um grande desperdício de dinheiro e de tempo duas CPIs, sobre o mesmo assunto, funcionamento paralelamente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.