CPI devassa quartel-general de contrabandista chinês

A CPI que investiga a pirataria e o contrabando no Brasil promoveu nesta quinta-feira uma devassa no quartel-general do empresário chinês naturalizado brasileiro Law Kin Chong, apontado como um dos maiores contrabandistas do País. Documentos, cheques e agendas com nome de policiais, juízes e políticos investigados pela Operação Anaconda foram apreendidos. Em depoimento à CPI na semana passada, Law negou ligação com a organização que atua na venda de sentenças judiciais.Dezenas de caminhões de mercadorias contrabandeadas e piratas foram recolhidos das lojas dos Shopping 25, Shopping Mundo Oriental e Depósito 25, todos administrados por Law, em São Paulo. Todo o material foi levado a um depósito da Receita Federal, em Guarulhos, para ser contabilizado. A megaoperação contou com cerca de 400 homens da Polícia Federal, Receita, Guarda Civil Municipal, Polícia Militar, além de promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.