CPI das ONGs no Senado deve investigar repasses à UnB

Universidade teria repassado R$ 470 mil por meio da Finatec para suposta compra de móveis de luxo para reitor

Agência Senado

25 de fevereiro de 2008 | 14h50

A CPI das ONGs no Senado tem reunião marcada para esta quarta-feira , às 11 horas, a fim de analisar e votar uma pauta de 78 requerimentos. A maioria das proposições refere-se à convocação de representantes legais de instituições sem fins lucrativos para que expliquem o destino de recursos públicos recebidos.  Veja também: Entenda a crise dos cartões corporativos  Após leitura, Senado instala CPI mista dos cartões  Os senadores membros da CPI deverão analisar também requerimentos de convocação do reitor da Universidade de Brasília (UnB), Timothy Mulholland, e do presidente da Finatec, Antônio Manoel Dias Henrique, a fim de que se manifestem sobre denúncias de uso de recursos públicos para mobiliar o apartamento funcional ocupado pelo reitor.  De acordo com essas denúncias, que vêm sendo divulgadas pela imprensa, a universidade teria repassado, por meio da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), R$ 470 mil para a compra de móveis de luxo para o apartamento do reitor. Entre outros requerimentos destinados à apuração desse caso, há ainda uma solicitação ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDF) para que encaminhe à CPI o teor de todas as ações e investigações movidas contra a Finatec com o objetivo de apurar as supostas irregularidades.

Tudo o que sabemos sobre:
UnBcartões corporativosCPI das Ongs

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.