CPI: Dantas relata conversas com José Dirceu sobre BrT

O banqueiro Daniel Dantas disse hoje em depoimento na CPI dos Grampos que o governo federal fez pressão para que os fundos de pensão assumissem o controle da Brasil Telecom (BrT). Segundo ele, os fundos que mais pressionavam para que o Opportunity, do qual Dantas é sócio-fundador, deixasse o controle societário da Brasil Telecom eram Previ (o que mais pressionou, segundo ele), Funcef e Petrus. Dantas contou que manifestou preocupação com o interesse do governo em relação ao controle da Brasil Telecom em duas conversas com o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu.De acordo o relato de Dantas, na primeira conversa, quando procurou José Dirceu para falar sobre planos de investimentos e manifestou preocupação de que os fundos assumissem o controle da empresa, o ex-chefe da Casa civil mencionou que havia planos diferentes do governo para a Brasil Telecom. Disse que não era desejável que o Opportunity mantivesse o controle da Brasil Telecom. "Quando o José Dirceu me manifestou a preocupação de que os fundos assumissem o controle da Brasil Telecom, deixou claro que o controle pelo Opportunity não era desejável", contou.Já no segundo encontro, conforme relato do banqueiro, José Dirceu teria entendido que a questão do controle da Brasil Telecom era um assunto privado e então orientou Dantas a procurar o então presidente do Banco do Brasil, Cássio Casseb, para resolver o que chamou de "problema". "Que problema?", teria reagido Dantas, obtendo como resposta que seria o controle da Brasil Telecom. Daniel Dantas, ainda conforme seu relato, teria explicado a Dirceu que Cássio Casseb era parte interessada no negócio, uma vez que integrava o conselho da Brasil Telecom como representante da Telecom Itália. Dantas disse aos deputados da CPI que para ele ficou claro que os fundos de pensão estavam sintonia com a Telecom Itália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.