CPI: Dantas depõe e nega ter feito escutas clandestinas

O sócio-fundador do Grupo Opportunity, Daniel Dantas, negou hoje, na CPI dos Grampos, que tenha feito interceptação telefônica ilegal e que tenha contratado a empresa Kroll, na época da disputa pelo controle da Brasil Telecom. Ele disse que quem contratou a Kroll foi a Brasil Telecom e que o contrato com a empresa foi recomendado pelo Citibank. Segundo Dantas, quem fez escutas ilegais foi a Telecom Itália, que utilizou uma estrutura no Brasil para prejudicá-lo. A briga entre as empresas começou em 2000, com a disputa entre sócios da Brasil Telecom (BrT) - Grupo Opportunity e Telecom Itália (TI) - pelo controle da empresa. Dantas chegou à sala de reunião da comissão por volta das 14h30 e disse aos jornalistas que estava tranqüilo. O sócio-fundador do Grupo Opportunity foi preso duas vezes pela Polícia Federal sob acusação de envolvimento em esquema de corrupção e lavagem de dinheiro e depois foi libertado duas vezes por decisão do STF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.