CPI da Pirataria denuncia mais de 100

O relatório final da CPI da Pirataria foi entregue hoje ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O texto denuncia mais de 100 pessoas e pede o indiciamento de 55 fraudadores. Foi pelo trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito que a polícia chegou ao chinês Law Kin Chong, apontado como o maior contrabandista do país. Vários políticos e autoridades também foram citados pela CPI, entre eles o deputado federal Pedro Corrêa (PP-PE) e o juiz federal João Carlos da Rocha Mattos. Na entrega do relatório da CPI da Pirataria da Câmara a Lula, o ministro da Justiça, Márcio Thomás Bastos, afirmou que a pirataria está associada à sonegação fiscal e à lavagem de dinheiro. Disse que uma das medidas do governo de combate à pirataria será a criação do Conselho Nacional da Defesa da Propriedade Intelectual e Combate à Pirataria. O presidente da CPI, Luiz Antônio Medeiros (PL-SP), afirmou em seu discurso que por traz da pirataria estão "grandes" do crime organizado. Segundo ele, uma das consequências da pirataria, como de CDs e softwares, é a redução de vagas de empregos pela indústria nacional. "A indústria de óculos praticamente está fechando porque não pode concorrer com os falsificados", disse Medeiros. Ele elogiou a iniciativa do governo de criar o Conselho. Lula não discursou na solenidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.