AE
AE

CPI da Petrobras deve apurar Fundação Sarney, diz Virgílio

Denúncia do 'Estado' diz que Fundação teria desviado para empresas fantasmas R$ 500 mil recebidos da estatal

LEONARDO GOY E DENISE MADUEÑO, Agencia Estado

09 de julho de 2009 | 13h31

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio, defendeu nesta quinta-feira, 9, que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras investigue a denúncia publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo de que a Fundação José Sarney teria desviado  para empresas fantasmas e de familiares do peemedebista R$ 500 mil recebidos da Petrobras, a título de patrocínio cultural. "Vamos pedir uma explicação cabal sobre os fatos. Isso precisa ser investigado pelo TCU (Tribunal de Contas da União), Ministério Público (MP) e pela CPI da Petrobras." Para Virgílio, se o processo investigatório não tiver uma solução, "o que acaba é a autoridade dele (Sarney) sobre a Casa".  

 

Veja Também:

especial ESPECIAL: O que será apurado na CPI e a cronologia do caso 

link Petrobras: cabe à Fundação prestar contas a ministério

link Sarney não participa de gestão de fundação, diz Senado

O senador tucano classificou como uma decisão de bom senso por parte do governo permitir a instalação da CPI da Petrobras, mas reforçou que o governo tinha duas saídas, tendo em vista que a oposição havia decidido entrar no Supremo Tribunal Federal (STF) com uma representação para exigir a instalação da CPI. "Ou eles esperavam uma paulada do STF ou agiam com bom senso", afirmou.

Virgílio reafirmou que a oposição vai apresentar chapa para tentar conseguir a presidência ou a relatoria da comissão. Na prática, porém, como o governo tem maioria de oito a três na comissão, e não abre mão dos dois cargos, a oposição deverá perder essa disputa. O tucano também disse que, com a decisão do governo de permitir a instalação da CPI, a oposição vai cumprir com a sua palavra e atender as duas condições que haviam sido negociadas com o governo para conseguir iniciar a CPI: "Vou devolver a relatoria da CPI das ONGs (Organizações Não-Governamentais) e vamos desfazer a CPI do DNIT (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes)."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.