Filipe Araújo/Estadão
Filipe Araújo/Estadão

CPI da Petrobrás aprova convocação de Aldemir Bendine

Ainda não há data marcada para o depoimento, mas por ser tratar de uma convocação, o executivo é obrigado a comparecer

CARLA ARAÚJO E DANIEL CARVALHO, O Estado de S. Paulo

01 Outubro 2015 | 15h49

Brasília - A CPI da Petrobrás na Câmara aprovou nesta quinta-feira, 1º, a convocação do presidente da estatal, Aldemir Bendine, para esclarecer sua atuação desde que assumiu a empresa. Ainda não há data marcada para o depoimento, mas por ser tratar de uma convocação, o executivo é obrigado a comparecer.

Na quarta-feira, 30, um integrante da cúpula da comissão disse que havia acordo firmado entre PSDB, PMDB, PT, PP e PR para aprovar o requerimento. Nesta quinta, somente o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) foi contrário à aprovação do requerimento.

O deputado alegou que a convocação de Bendine pouco iria esclarecer, já que ele está há pouco tempo no comando da estatal e o objetivo da CPI é apurar o passado e a "roubalheira" na Petrobrás.

Lorenzoni citou as reportagens publicadas nesta quinta-feira pelo jornal O Estado de S. Paulo, como a que mostrou que mensagens enviadas por celular pelo dono da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa, e um executivo do grupo, no final de julho de 2014, sugerem que as doações da empreiteira para a campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff estavam relacionadas ao recebimento de valores dos contratos que ele detém na Petrobrás.

Segundo o deputado, as suspeitas divulgadas nesta quinta "são muito mais importantes" de serem apuradas pela CPI do que os esclarecimentos de Bendine.

Prorrogação. Lorenzoni protocolou um requerimento para prorrogar os trabalhos da CPI, que se encerraria dia 23 de outubro, por mais 120 dias. Caso a comissão não aprove a prorrogação, o deputado afirmou que levará o pedido de extensão ao Plenário da Câmara.

Mais conteúdo sobre:
CPI Petrobras Bendine

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.