CPI da Loterj aprofundará investigações sobre chantagem

A CPI da Loterj e do Rio Previdência da Assembléia Legislativa fluminense decidiu aprofundar as investigações sobre a suposta chantagem que o empresário de jogos Carlos Ramos, o Carlinhos Cachoeira, teria tentado contra o então subchefe de Assuntos Paralmentares da Casa Civil, Waldomiro Diniz, para tentar influenciar um projeto sobre bingos que estava em preparação no governo em 2003. Os deputados decidiram convocar para depor o jornalista Nilo Pedrosa, acusado por Waldomiro de ter trabalhado como emissário de Cachoeira na suposta chantagem, que foi denunciada por Waldomiro ontem, em depoimento de mais de cinco horas à comissão. "Queremos esclarecer isso", afirmou o presidente da CPI, deputado Alessandro Calazans (PV), que disse que o fato não foge à competência da CPI, criada para investigar suposta corrrupção na gestão de Waldomiro Diniz na presidência da Loterj, em 2001 e 2002. Os deputados também decidiram que farão uma acareação entre Waldomiro e Cachoeira, para esclarecer pontos obscuros e conflitantes nos depoimentos de ambos à CPI. As datas do depoimento de Pedrosa e da acareação ainda serão marcadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.