Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão
Imagem Eliane Cantanhêde
Colunista
Eliane Cantanhêde
Conteúdo Exclusivo para Assinante

CPI da Covid quer indiciar Bolsonaro, ministros e dois filhos do presidente

Eliane Cantanhêde analisa reta final do colegiado, que aprovou hoje últimos requerimentos antes de votação do relatório; em novo episódio de Por Dentro da CPI, jornalista destaca proposta de indiciamento do presidente por 11 crimes

Eliane Cantanhêde, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2021 | 16h44

A CPI da Covid aprovou nesta sexta-feira, 15, os últimos requerimentos antes de sua derradeira e mais importante votação, a do relatório final, semana que vem. O parecer do senador Renan Calheiros (MDB-AL) vai propor o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro por 11 crimes, além de pedir o indiciamento de ministros e de “pelo menos dois filhos do presidente envolvidos diretamente nas fake news que pioraram todo o controle da pandemia no País”, diz a jornalista Eliane Cantanhêde no penúltimo episódio da série Por Dentro da CPI.

Por causa do feriado, a comissão não colheu depoimentos esta semana, mas “houve muitas discussões e acertos de bastidor”. Os requerimento aprovados nesta sexta tratam da convocação de Nelson Mussolini, integrante da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde, e da audiência, na tarde de segunda, para ouvir “membros de famílias destroçadas pela covid”, além de médicos e enfermeiros. “Será um momento muito emocionante da CPI”, avalia Eliane.

A Conitec “tem um documento prontinho dizendo que a cloroquina não pode ser usada ambulatorialmente contra a covid”, explica a jornalista. “A CPI quer saber primeiro o que diz o documento e, segundo, por que não foi votado.”

A jornalista também apresenta ainda os últimos passos da CPI com apresentação e votação do relatório final e entrega à Procuradoria Geral da República, na terça e na quarta-feira, 20.

“A CPI termina na semana que vem, mas o senador Renan avisa que vem aí um observatório para acompanhar os desdobramentos na Procuradoria Geral da República, na Câmara dos Deputados e onde for do que foi apurado revelado e comprovado pela CPI”, diz Eliane. “A CPI termina, mas os trabalhos continuam.”

Confira o novo episódio de Por Dentro da CPI:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.