CPI da Corrupção do DF negocia depoimento de Durval Barbosa

Pivô do escândalo de corrupção, ex-secretário do governador Arruda desmarcou comparecimento em janeiro

CAROL PIRES, Agencia Estado

15 de março de 2010 | 17h52

O relator da CPI da Corrupção da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Paulo Tadeu (PT), informou que vai procurar a Polícia Federal na próxima terça ou quarta-feira para definir uma data para a comissão ouvir o depoimento do ex-secretário de Relações Institucionais do governo do DF Durval Barbosa, principal testemunha do "mensalão do DEM". O ex-secretário está sob proteção da Polícia Federal desde que delatou os envolvidos no esquema, que seria chefiado pelo governador afastado José Roberto Arruda (ex-DEM).

 

 

Veja Também

 

linkTRE analisa cassação de Arruda por infidelidade

O requerimento de convocação de Durval Barbosa para depor à CPI foi aprovado em janeiro, nas primeiras reuniões da comissão. O depoimento dele chegou a ser marcado pela Polícia Federal, mas, a pedido do ex-secretário, a reunião com os deputados foi adiada.

A partir da quarta-feira da próxima semana, a CPI também começará a ouvir os depoimentos de empresários envolvidos no esquema de corrupção local. O primeiro a ser ouvido deve ser Gilberto Lucena, dono da Linknet, uma das empresas acusadas de abastecer o "mensalão do DEM".

A visita à Polícia Federal para marcar o depoimento de Durval Barbosa e os depoimentos dos empresários envolvidos no esquema está prevista na agenda de trabalho da CPI, apresentada nesta segunda-feira, 15, pelo relator, Paulo Tadeu, e aprovada pelo colegiado. A previsão é de que o relatório final das investigações seja apresentado dia 16 de junho. O texto deve ser votado, segundo o cronograma de trabalho, no dia 18 daquele mês.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoDFCPIDurval Barbosa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.