CPI apura que advogado do PT pagou diária de motorista

A CPI dos Bingos informou que foi advogado do PT Hélio Silveira quem pagou a diária de hotel para o motorista do Ministério da Fazenda no Rio de Janeiro Eder Eustáquio Macedo, que depôs hoje na comissão sobre as suspeitas de ter transportado, de Campinas para a sede do PT na capital paulista, uma suposta doação de US$ 3 milhões do governo de Cuba para o caixa 2 do Partido dos Trabalhadores.Durante seu depoimento, Eder não quis informar quem pagou a diária e deu três versões sobre as circunstâncias em que conheceu o advogado Hélio Silveira, que foi quem providenciou a advogada Stela Cristina Nakazato, que o assistiu hoje, durante o depoimento na CPI. Quanto ao advogado, a CPI descobriu inicialmente que ele foi defensor da ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy (PT) e, posteriormente, que ele é advogado do PT.Segundo a CPI dos Bingos, Hélio Silveira pagou R$ 476,79 ao Hotel Mercure, um cinco-estrelas da capital federal, valor este que incluiria também a hospedagem do próprio advogado e da advogada Stela Nakazato. Esses dados foram levantados por um delegado da Polícia Federal que assessora a CPI, já que o hotel se recusara, anteriormente, a fornecê-los. Segundo o delegado, a reserva do hotel foi feita pelo escritório do advogado do PT.Ainda segundo o delegado, os hóspedes fizeram de seus apartamentos quatro ligações telefônicas para dois endereços: uma drogaria e uma residência na Asa Sul, cujo moradora a CPI ainda não identificou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.