CPI antecipa fim do depoimento de Cachoeira

Parlamentares da CPI do Cachoeira decidiram antecipar o fim do depoimento do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Diante do silêncio de Cachoeira às perguntas, os deputados e senadores preferiram apoiar requerimento da senadora Kátia Abreu (PSD-TO) para abreviar a reunião.

RICARDO BRITO, Agência Estado

22 Maio 2012 | 16h59

Durante a sessão, coube a Kátia Abreu fazer o mais duro questionamento ao encontro desta terça-feira. "Estamos fazendo papel de ridículo diante desse cidadão", afirmou a senadora, para quem os parlamentares estavam perguntando para uma múmia. "Um cidadão que não quer responder. Não vou ficar dando ouro para bandido".

O pedido para encerrar a reunião contou com o apoio da maioria dos parlamentares do colegiado. Antes da votação, o presidente da Comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), disse que ainda havia 39 deputados e senadores inscritos para fazer perguntas a Cachoeira.

Com pouco mais de duas horas de depoimento, Cachoeira se manteve praticamente calado diante das perguntas feitas pelos parlamentares. Já na sua primeira fala à CPI, ele anunciou que só prestaria esclarecimentos após comparecer a duas audiências na Justiça Federal em Goiânia, marcadas para os dias 31 de maio e 1º de junho. "Não falarei nada aqui", disse.

Os parlamentares não conseguiram votar a reconvocação do contraventor porque a sessão de votação do plenário do Senado já teve início e, regimentalmente, não é possível ter votações em comissões ao mesmo tempo do plenário da Casa.

Mais conteúdo sobre:
CPICachoeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.