Covas reage bem a quimioterapia

O infectologista David Uip, médico particular do governador licenciado de São Paulo, Mário Covas (PSDB), afirmou hoje que ele reagiu bem à terceira sessão de quimioterapia intra-raquidiana feita hoje, que se repetirá todas as segundas e terças-feiras. Para o infectologista, o tratamento em casa tem sido bem sucedido, e Covas deverá continuar a receber as aplicações da terapia contra o câncer na residência. "É sempre melhor o paciente estar em casa. Longe do hospital, a recuperação é mais eficiente." Uip, no entanto, evitou comentar os resultados do tratamento, que tenta combater o câncer de meninge (membrana que envolve o cérebro e a medula espinhal), detectado há duas semanas no governador afastado. O número de células neoplásicas e de proteína, que indicam o estágio da doença, analisados na amostra de liquor (líquido cefalorraquidiano) retirado antes da terapia não pode ser revelado. Segundo Uip, é uma questão da relação médico-paciente e não deve ser divulgada, por enquanto."Não adianta fazer estimativas. Hoje, ele (Covas) reagiu bem ao tratamento, que vai se repetir todas as segundas e terças-feiras", afirmou Uip, que considera que cada dia é importante para a recuperação do paciente. Covas submeteu-se hoje, às 8h30, à terceira aplicação de quimioterapia intra-raquidiana. O tratamento foi realizado na ala residencial do Palácio dos Bandeirantes. Além de Uip, os médicos oncologista Ricardo Brentani e neurologista Milberto Scaff, responsáveis pelo tratamento de Covas, acompanharam a sessão.Segundo Uip, Covas está bem do ponto de vista clínico, não se queixou de dores nem passou mal depois da sessão de quimioterapia. A próxima aplicação da terapia será realizada na segunda-feira. Para aos médicos, não há impedimentos para Covas participar dos compromissos da agenda informal. "Nós estamos satisfeitos por ele (Covas) estar aonde está agora", declarou Uip, referindo-se à participação do governador licenciado na inauguração das marginais no quilômetro 23 da Rodovia Castelo Branco, na manhã de hoje. "Desde que o governador faça um pouco de repouso e siga o tratamento, não há problemas. A agenda de Covas está sendo adequada", afirmou o infectologista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.