Covas não deve deixar Incor nesta semana

O governador licenciado de São Paulo, Mário Covas, não deve deixar o Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor) antes da próxima segunda-feira. A afirmação foi feita há pouco pelo médico do governador, o infectologista David Uip. Segundo ele, Covas terá de permanecer internado em razão de uma trombose ?profunda? na perna direita, identificada esta manhã durante uma ultrassonografia, realizada no hospital.Uip informou ainda que houve uma ?melhora significativa? no quadro infeccioso observado desde ontem. A causa da infecção, segundo o médico, pode ter origem na perna direita ou ainda na parte inferior do abdome. ?Houve uma melhora significativa de ontem para hoje e o processo infeccioso foi reequilibrado?, afirmou Uip.O médico disse ainda que Covas tomou café da manhã e está sendo medicado com antibióticos e anticoagulantes por via venosa. Segundo o infectologista, o governador está bem-humorado e já discutiu com os médicos porque gostaria de ter tido alta às 5 horas da Unidade de Coronáriopatia Aguda, de onde acabou saindo para o quarto somente às 7 horas.Ainda segundo o médico, as sessões de quimioterapia a que o governador estava sendo submetido em razão do câncer na meninge, foram suspensas. O último boletim médico distribuído pelo Incor informa que o quadro infeccioso, o nível glicêmico (quantidade de açúcar no sangue) além dos ?parâmetros hemodinâmicos e cardíacos? estão estáveis. Um novo boletim só será divulgado amanhã, a partir das 12 horas.Leia abaixo a íntegra do Boletim Médico nº 2, sobre o estado de saúde do governador Mario Covas: São Paulo, 26 de fevereiro de 2001, 12h.Paciente: governador Mário Covas Continua estável o quadro clínico do governador Mário Covas, internado no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor-HC/FMUSP) desde a noite de ontem (25/02). Hoje, por volta das 7h, recebeu alta da Unidade de Coronariopatia Aguda, sendo transferido para o quarto. O quadro infeccioso, o nível glicêmico, assim como os parâmetros hemodinâmicos e cardíacos são estáveis. O paciente apresenta, no entanto, quadro de trombose venosa profunda em membro inferior direito, de acordo com resultado de ultrassonografia realizada às 10h da manhã de hoje.O governador está consciente, alimentando-se normalmente, devendo permanecer internado para tratamento por tempo indeterminado. A prescrição medicamentosa segue com antimicrobianos, anticoagulantes e antiarrítmicos ministrados por via venosa.Assessoria de Imprensa Instituto do Coração Incor-HC/FMUSPNovo boletim médico será divulgado amanhã (27/02), a partir das 12h.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.