Covas não comenta nota de Marta

O governador licenciado Mário Covas não quis fazer comentários sobre a nota da prefeita Marta Suplicy, que classifica o investimento do Estado na parceria com a prefeitura, de cerca de R$ 180 milhões, como "um primeiro e tímido passo". "Não quero falar sobre esse assunto. Isso foi muito, com total isenção, no que se refere a nós (Estado), e não nasceu de nossa cabeça. Foi fruto de negociações", comentou. Perguntado se iria encarar o ato de Marta como ingratidão, Covas respondeu: "Ingrata? O pensamento é sempre livre. O que foi feito está dentro das possibilidades do Estado." Para o governador em exercício, Geraldo Alckmin, a atitude da prefeita não vai atrapalhar a parceria. "O governo fez a pauta da parceria e estabeleceu, dentro dos limites orçamentários, o que poderia ser feito. Foi um primeiro passo", comentou. Quanto as criticas dos secretários municipais sobre o investimento na construção de Centro de Detenção Provisória, ao invés da liberação de verbas para projetos como o renda mínima, Alckmin foi enfático: "Se um secretário municipal discorda é um problema da prefeitura. A gente tem que deixar de lado essas coisas, ter bom senso e somar nas convergências."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.