Covas é relembrado por sua persistência e lealdade

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Paulo Costa Leite, lamentou a morte do governador Mário Covas, salientando nele, além de suas qualidades políticas, também aquelas como ser humano. "Nos últimos dois meses, percebemos que aquele Mário Covas político e defensor intransigente das suas idéias e pensamentos era sustentado por outro gigante: o Mário Covas humano", afirmou Costa Leite."Os dois tinham em comum o inconformismo, ainda que diante do inexorável. Nenhum deles, à sua maneira, deixou de lutar. Não será apenas uma história política a ser contada; antes, será uma história humana, o lado humano da atividade política. Dos homens que lutam na certeza de que estão do lado certo. São, portanto, dois heróis a reverenciar. Que o bom Deus o proteja".LealdadeO ministro do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim, afirmou que o governador de São Paulo, Mário Covas, tinha um grande espírito público "e uma pessoa extremamente leal". Segundo Jobim, Covas "tinha um jeito de turrão, costumava levar suas idéias até as últimas conseqüências, mas tinha a dignidade de voltar atrás, quando achava que estava errado". Jobim contou que ele e Mário Covas se tornaram grandes amigos durante a Assembléia Nacional Constituinte, da qual Jobim foi seu vice-líder. "Aprendi muito com ele, já que naquela época era recém-chegado do interior do Rio Grande do Sul. Posso me considerar um discípulo seu, pois aprendi muito com ele", concluiu. Lerner decreta luto oficialO governador do Paraná, Jaime Lerner (PFL), determinou luto oficial de três dias no Estado em razão da morte do governador Mário Covas (PSDB). "Covas foi um exemplo de caráter, resistência e fortaleza contra as dificuldades", disse Lerner, em nota oficial. O governador paranaense viaja ainda pela manhã para São Paulo para participar do velório do ex-governador. "Na vida pública, prefeito corretíssimo de sua cidade natal e da capital do Estado, governador ético, Mário Covas lutou contra a repressão do regime militar e ajudou a construir os caminhos da democracia", acentuou Lerner. "Na vida pessoal, deu ao Brasil um magnífico exemplo de coragem e humanidade. Sua grande alma ficou tanto mais forte quanto mais frágil foi se mostrando a sua saúde."Transigência ?na hora certa?O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Rubens Approbato Machado, emitiu uma nota em que afirma que o Mário Covas foi exemplo em todos os sentidos e tinha a capacidade de transigir na hora certa. Na nota, Approbato Machado afirma, também, que Covas "foi um exemplo de integridade".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.