Covas apresenta quadro infeccioso grave

O governador licenciado Mário Covas está com quadro infeccioso grave, segundo o boletim médico divulgado por volta das 11 horas da noite deste domingo pelo Incor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas). Ele está internado na Unidade de Coronariopatia Aguda do Incor (UTI para problemas cardíacos), consciente e clinicamente estável.De acordo com a nota, Covas chegou ao hospital com hiperglicemia (aumento de glicose no sangue), distúrbios metabólicos e de coagulação. Apresentava, ainda, arritmia cardíaca e queda de pressão arterial.O próximo boletim será divulgado por volta do meio-dia desta segunda-feira.O governador Covas voltou da Riviera de São Lourenço, em Bertioga (litoral de São Paulo) para a capital a bordo do helicóptero do governo do Estado, por determinação de seu médico particular, o infectologista David Uip. Ele chegou ao Incor por volta das 19 horas, acompanhado pelo infectologista e pela filha, Renata Covas Lopes. "Papai não está nada bem", disse Renata, emocionada e com os olhos cheios de lágrimas.O médico já havia examinado Covas no sábado. O governador estava com uma infecção na perna; como a infecção não cedeu com o medicamento prescrito por David Uip, o médico decidiu pela internação. Ao sair de Bertioga, Uip disse apenas que Covas não estava bem e seria levado ao hospital. "Ele (Covas) vai para o Incor e, depois, converso com vocês (jornalistas) para explicar melhor."Fontes do Incor informaram à Agência Estado no início da noite que o governador licenciado está com erisipela, problema recorrente desde a primeira operação no coração que sofreu nos anos 80.O governador licenciado estava na Riviera de São Lourenço, acompanhado da primeira dama, Lila Covas, da filha, Renata, do filho, Mário Covas Neto, o Zuzinha, e dos netos, desde o fim da tarde de sexta-feira. Covas deixou a casa de praia da família às 18h15, numa van adaptada paracadeira de rodas rumo ao heliponto, no Batalhão da Polícia Militar de Bertioga, na estrada Rio-Santos. No meio da tarde, seguranças e familiares estavam agitados, entrando e saindo da residência. Às 17h15, os carros do governo do Estado e a van adaptada para cadeira de rodas foram estacionados na garagem.O governador licenciado foi liberado pela equipe médica para viajar na sexta-feira, mesmo depois de ter uma arritmia cardíaca na quinta-feira, durante uma internação de quatro horas no Incor. Nesse dia, Covas recebeu a 10ª sessão de quimioterapia aplicada na medula; devido ao distúrbio cardíaco, que foi controlado antes da alta, às 13 horas de quinta-feira, o governador deixou de retomar a imunoterapia - tratamento experimental que tem como objetivo tentar combater as células cancerosas e o reaparecimento de tumores. Os médicos detectaram câncer na meninge em meados de janeiro; a partir daí Covas iniciou tratamento de quimioterapia intratecal (na medula), comaplicações realizadas duas vezes por semana. Com sua melhora clínica elaboratorial, os médicos reduziram para uma vez por semana as sessões dequimioterapia. O médico particular do governador, David Uip, não deu entrevistacoletiva na noite deste domingo.Eis a íntegra do boletim médico divulgado pela assessoria de imprensa do Incor: "Boletim médico n° 1 São Paulo, 25 de fevereiro de 2001,22h45.Paciente: governador Mário Covas.O governador Mário Covas foi internado às 19h de hoje no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor-HC/FMUSP), com quadro infeccioso grave, de instalação aguda, associado a hiperglicemia (aumento de glicose no sangue), distúrbios metabólicos e de coagulação. Apresentava ainda arritmia cardíaca e queda de pressão arterial.No momento, encontra-se internado na Unidade de Coronariopatia Aguda do Incor, consciente e clinicamente estável."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.