Cotado para Ministério dos Transportes é alvo de denúncias

O prefeito de Manaus, Alfredo Nascimento (PL), cotado para substituir Anderson Adauto no Ministério dos Transportes, foi alvo de sete ações de improbidade administrativas nos últimos 15 dias. Segundo o chefe da Casa Civil da Prefeitura de Manaus, Raul Zaidan, "esse foi o maior absurdo judicial do século".A enxurrada de denúncias começou no dia 5 de fevereiro, quando a procuradora substituta do Ministério Público do Amazonas, Noême Tobias de Souza, denunciou o prefeito por não ter listado entre seus bens na declaração de imposto de renda a empresa Vulcanização Tarumã. De acordo com Zaidan, essa empresa pertence à esposa do prefeito, Francisca Leônia do Nascimento, e do irmão dela, Francisco Rodrigues de Morais. Segundo o assessor do prefeito, "os dois sempre fizeram declaração de renda em separado.Para o secretário da Casa Civil, de todas as denúncias, uma é procedente e já está sendo resolvida. "Trata-se de um caso de um funcionário da Secretaria de Saúde requerendo vale transporte. Isso já deve estar sendo resolvido também", afirma.O Secretário de Comunicação, Jéferson Coronel, disse ter conversado com o prefeito e ter sentido tranqüilidade por parte dele. "Sabemos que essas ações são articuladas e surgiram exatamente dois dias depois do anúncio de que ele seria ministro dos Transportes. Ele está tranqüilo", garante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.