Ministério da Saúde
Ministério da Saúde

Cotado a 'número 2' de Teich, general tem reunião no Ministério da Saúde

Se confirmado no cargo, o general será chefe também da Diretoria de Logística da Saúde, que realiza as compras do ministério

Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2020 | 15h27

BRASÍLIA - O general Eduardo Pazuello, cotado a “número 2” na gestão do oncologista Nelson Teich no Ministério da Saúde, tem reunião agendada na pasta com o ministro na tarde desta terça-feira, 21. Antes, ele se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro no Hotel de Trânsito de Oficiais do Exército, em Brasília, no fim da manhã do feriado de Tiradentes.

Segundo integrantes do ministério, Teich ainda não anunciou o militar para a equipe como novo secretário-executivo, o “vice-ministro” da pasta. Se confirmado no cargo, o general será chefe também da Diretoria de Logística da Saúde, que realiza as compras do ministério.

Em anos normais, sem pandemia, a diretoria realiza compras de cerca de R$ 10 bilhões anuais. A pasta está sendo visada por órgãos de controle durante a crise sanitária.

Pazuello comandou até outubro de 2019 a Operação Acolhida, que dá apoio a refugiados, especialmente da Venezuela. O cargo de secretário-executivo do Ministério da Saúde é ocupado hoje por João Gabbardo, médico e ex-secretário de Saúde do Rio Grande do Sul, indicado por Osmar Terra (MDB). Ele já disse que pretende seguir na pasta, se convidado.

O presidente Jair Bolsonaro também designou o almirante Flávio Rocha, chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), para auxiliar na transição do Ministério da Saúde. Ele tem acompanhado reuniões de Teich com autoridades.

Equipe

A equipe de secretários nomeada pelo ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM) segue no Ministério da Saúde. O principal formulador de estratégias contra a covid-19, Wanderson Oliveira, secretário Nacional de Vigilância Sanitária (SVS), fica à disposição até 4 de maio para a transição a gestão Teich. Depois, ele já avisou que deixa o governo. Segundo integrantes do governo, o PL teria interesse em indicar o substituto ao cargo, ocupado historicamente por técnicos da saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.