Cota de consumo de energia no Norte deve ser ampliada

A redução do consumo de energia elétrica nos Estados das regiões Sudeste e Centro-Oeste ficou em 21,8% entre os dias 1º e 30 de julho, ou seja, 1,8 ponto porcentual acima da meta fixada pela Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica (GCE). No Nordeste, a economia ficou em 21,1%, 1,1 ponto porcentual acima da meta da GCE.Já o desempenho da região Norte pode levar o governo federal a determinar o racionamento compulsório em parte do Pará além dos Estados de Tocantins e Maranhão (Estado nordestino que faz parte do subsistema interligado Norte). A região economizou 10%, ficando 5 pontos porcentuais abaixo do previsto. É possível que a GCE decida, dentro dos próximos dias, que os moradores da região Norte tenham de economizar 20% de energia.O volume de chuvas no rio Tocantins ficou abaixo das expectativas do governo federal. Com isso, o reservatório da usina hidrelétrica de Tucuruí, no Pará, está se esvaziando mais rapidamente. Deste modo, Tucuruí não tem condições de enviar 1.000 megawatts de energia para a Região Nordeste. Os números do racionamento serão analisados nesta quarta-feira, no Palácio do Planalto pelos integrantes da GCE.O balanço do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) preparado hoje indicou que os reservatórios das usinas hidrelétricas do Sudeste estão com 26,76% de água. Isso significa que as barragens ficaram com 2,33 pontos porcentuais acima da previsão feita pela GCE para esta época do ano. Na região Nordeste, a quantidade de água nos reservatórios chegou a 21,15% - 0,52 ponto porcentual além do previsto.A situação é bastante confortável na região Sul, onde os reservatórios atingiram a marca de 96,9%. Já no região Norte, as barragens chegaram a 64,98%. A GCE esperava que as chuvas no rio Tocantins no mês de julho chegassem a 80% da média. O resultado ficou cinco pontos porcentuais abaixo da previsão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.