Costa: PT não deve abrir mão do cargo de articulador

O líder do PT, senador Humberto Costa (PE), disse hoje que o partido não deve abrir mão do cargo de articulador político no Congresso. Ele acredita que seria "complicado" passar a função para um parlamentar do PMDB. "Para nós do PT, essa função é muito importante, é importante ter a coordenação de alguém do PT, especialmente na Câmara", defendeu. Ele entende que as dificuldades de relacionamento com deputados da base é algo recente, inexistente no final do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

ROSA COSTA, Agência Estado

08 de junho de 2011 | 20h21

Humberto atribui parte do problema ao modelo de articulação em curso, dividido entre a Secretaria de Relações Institucionais, comandada pelo ministro Luiz Sérgio, e a Casa Civil do ex-ministro Palocci. "Acredito que a mudança de modelo pode apresentar uma melhoria nesse relacionamento, mas quem decide é a presidente Dilma", destacou.

No caso das dificuldades enfrentadas por Luiz Sérgio, o líder entende que elas ocorreram por causa desse modelo de articulação repartido, que "leva à superposição". "Com o desmembramento, é possível que ele possa desempenhar essa ação com mais desenvoltura", prevê, sem querer endossar as informações sobre a exoneração do ministro. "A presidente Dilma é quem vai julgar, se der maior autonomia a Luiz Sérgio, ele terá condições de fazer o trabalho", reitera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.