Costa Neto diz ser incompatível defender manutenção de Palocci

O presidente do PL, Waldemar Costa Neto, disse, por meio de sua assessoria, que se surpreendeu com a repercussão das declarações que fez criticando a política econômica e pedindo a saída do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, e do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. O motivo da surpresa de Costa Neto, de acordo com a assessoria, é o fato de que as afirmações não são novas e são conhecidas da imprensa desde meados do ano passado. Segundo os assessores, Costa Neto disse que, nas declarações à imprensa, ele afirmou que, depois das considerações críticas, seria incompatível defender a manutenção do ministro da Fazenda, Antonio Palocci. "Hoje, em respeito à natureza democrática do PL e o princípio de direito de opinião, acato a decisão", disse Costa Neto, por meio de sua assessoria, referindo-se à nota divulgada hoje pelo PL reafirmando "apoio incondicional" ao governo Lula e reconhecendo que compete exclusivamente ao presidente da República demitir ministros. "A nota, por si só, esgota o assunto", disse Costa Neto, segundo os assessores, sobre a polêmica pedindo a cabeça de Palocci e Meirelles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.