Costa manifesta intenção de permanecer nas Comunicações

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, manifestou nesta terça-feira, 21, a intenção de permanecer à frente do Ministério por mais um ano. Ele disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já deixou "bem claro" que este não é o momento de se falar em reforma ministerial, mas que estaria disposto a permanecer no cargo para completar sua tarefa. "Se amanhã ele (Lula) me pedir para continuar, eu acho que eu posso considerar sim, pelo menos por mais um ano, porque eu acho que a implementação desse sistema de internet banda larga é muito importante", disse o ministro, manifestando a vontade de tocar o projeto de levar acesso à internet via banda larga sem fio às comunidades. "Mas estou aqui apenas cumprindo uma missão", completou. Costa disse que está na pasta das Comunicações a convite do presidente Lula e do PMDB. "Mas, antes do meu partido, tem a decisão do presidente da República. Cabe a ele", disse o ministro em entrevista coletiva. Segundo Costa, a participação do PMDB no segundo mandato de Lula é um assunto que está sendo tratado pela "liderança" do PMDB. "Tenho conversado com meus companheiros e não tenho tido nenhuma informação se fico ou saio porque não é o momento", disse o ministro.AnatelO ministro disse também que vai indicar formalmente ainda nesta terça-feira à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, o nome do advogado Alexandre Jobim para uma vaga no conselho diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Segundo Costa, o nome de Jobim é uma indicação do PMDB e foi aprovado pela cúpula do partido. "Acho que agora vamos resolver o problema", disse o ministro em entrevista coletiva, referindo-se à demora no preenchimento da vaga deixada pelo ex-presidente da Agência Elifas Gurgel do Amaral, cujo mandato terminou em novembro do ano passado. Alexandre Jobim é filho do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Nelson Jobim e atuou recentemente como consultor jurídico da Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão (Abert). Essa ligação com o setor de radiodifusão despertou críticas de empresas de telecomunicações à sua indicação para a Anatel. Costa disse que não há resistências ao nome de Jobim na ala sindical do governo, ligada à Federação Interestadual de Telecomunicações (Fittel), que indicou os atuais conselheiros Plínio de Aguiar Júnior e Pedro Jaime Ziller. A Fittel indicou para a segunda vaga o nome do superintendente-executivo da Anatel, Niberto Miranda, irmão do ex-ministro Nilmário Miranda, candidato derrotado ao governo de Minas Gerais. Costa não soube dizer se há um consenso em torno dessa indicação. Também é cotado para a vaga o assessor especial da Casa Civil, André Barbosa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.