Costa ironiza desempenho de Anastasia em debate

Afirmando que tem a candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, "no coração", o candidato do PMDB ao governo de Minas, Hélio Costa, ironizou hoje seu adversário, Antonio Anastasia (PSDB), afirmando que ele "deve ter esquecido" de citar o presidenciável tucano José Serra no debate da TV Bandeirantes. Como parte da estratégia de se "colar" na popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e arregimentar a militância petista, Costa iniciou sua participação no debate fazendo rasgados elogios ao PT, "o partido do presidente Lula, da Dilma, do Patrus Ananias, do Fernando Pimentel".

EDUARDO KATTAH, Agência Estado

13 de agosto de 2010 | 20h16

Anastasia, por sua vez, se concentrou nas referências ao padrinho político, Aécio Neves (PSDB), classificando a gestão tucana com um governo compartilhado entre ele e o ex-governador. "Tenho impressão que as pessoas que acompanharam, todos os eleitores ficaram satisfeitos e puderam ver que a nossa proposta é uma proposta que vem de uma seriedade e de uma continuidade", comentou hoje, durante visita a Alfenas, no sul de Minas Gerais.

Já o peemedebista lembrou que citou Dilma nos três minutos destinados para as considerações finais dos candidatos. "Ela está no meu coração. Meu adversário deve ter esquecido (de citar Serra)", ironizou Costa ao participa de uma passeata na região central de Belo Horizonte.

Mineração

O primeiro debate entre os candidatos ao Palácio Tiradentes foi marcado por um tema predominante: a necessidade de uma mobilização no Congresso Nacional pelo aumento dos royalties pagos pela exploração do minério de ferro e a volta da cobrança do ICMS do produto exportado. O tema é o principal mote campanha do candidato do PV, José Fernando Aparecido, mas serviu de pano de fundo para um embate entre Costa e Anastasia.

O candidato do PMDB acusou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o PSDB de responsáveis pela Lei Kandir, que desonera a cobrança de ICMS de produtos primários exportados. "Quem era o presidente na época da Lei Kandir? Foi ali que Minas foi impedida de cobrar ICMS sobre o minério", disse. Anastasia devolveu na mesma moeda, questionando por que não houve revisão da Lei Kandir e dos royalties do minério de ferro durante o governo Lula, quando PT e PMDB tinham maioria no Congresso. "Mesmo sendo função federal, vamos lutar por isso", afirmou.

José Fernando disse hoje que ficou "feliz" com o fato de sua tese ter mobilizado os principais candidatos no debate. "Não foi priorizada essa questão, que precisa ser priorizada."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.