Costa é contra projeto que prevê pagamento de benefícios no SUS

O ministro da Saúde, Humberto Costa, disse hoje ser "radicalmente contra" o projeto aprovado pela Comissão de Seguridade Social da Câmara, que prevê atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) com pagamento por benefícios como acomodação mais luxuosa ou médico de confiança. "Sou frontalmente contra e acho que isso é uma visão equivocada", afirmou o ministro, em entrevista no Planalto, ao comentar o projeto de autoria do deputado Francisco Gonçalves (PTB-MG), noticiado ontem pelo Estado."Nós não temos que criar novas portas e discriminar as pessoas pobres, que precisam do sistema único de saúde. O que nós temos é de criar condições boas de atendimento para todos, para ricos e pobres", rebateu. "O governo está mostrando que é perfeitamente possível termos serviço de excelência que sejam públicos e que possam ser bem geridos e bem administrados."Segundo ele, "hoje, boa parte da classe média, boa parte das pessoas que têm boas condições, utilizam o SUS na área da alta complexidade, seja para fazer transplantes, seja para ter acesso a medicamentos de alto custo, para enfim, ter acesso àquilo que é hoje excelência". Pelo projeto, pessoas dispostas a arcar com um pagamento extra teriam direito a acomodação em hospitais mais luxuosas do que as oferecidas aos pacientes do SUS. Além disso, teriam, também o direito de escolher o médico de sua confiança, desde que pagassem outra porcentagem a mais para os profissionais. O restante seria pago pelo SUS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.