Costa diz que renúncia de Jobim foi positiva para PMDB

Aliado de Nelson Jobim, o ministro das Comunicações, Hélio Costa, afirmou nesta terça-feira, 6, que a desistência do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) de concorrer à presidência do PMDB foi positiva para a união do partido."A melhor decisão a essas alturas ao ministro Jobim foi renunciar à candidatura para não levar a uma disputa que gerasse a cisão do partido", disse Costa a jornalistas, após participar de cerimônia ligada aos Jogos Pan-Americanos, que se realizarão no Rio de Janeiro, em julho."Sentimos que o PMDB não pode mais partir para uma disputa tão grave e séria como estava acontecendo, senão não vamos conseguir unir nunca o nosso partido", acrescentou Costa.O ministro afirmou não ter ficado surpreso com a desistência de Jobim, nem com a possível indicação do deputado Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) ao ministério da Integração Nacional. "A indicação ainda não ocorreu, mas se ocorrer, está nos prognósticos do partido. Ele sempre era lembrado para ocupar um ministério e não me surpreende que esteja sendo cotado", disse Costa.O ministro avalia que com a saída de Jobim da disputa a convenção do partido no fim de semana será tranqüila. "O Temer não é o presidente dos meus sonhos, mas é o presidente com quem eu posso conviver."Costa afirmou ainda que a ala que o indicou para o primeiro governo Lula quer a sua permanência no segundo mandato. "Evidentemente que agora tudo depende do presidente. Tenho certeza que o PMDB vai estar bem representado."Em relação ao fim do compromisso da ala do PMDB no Senado com o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, Costa minimizou: "O Senado tem dado apoio ao presidente independentemente de qualquer eleição no PMDB. O Senado tem sido aliado do presidente e os peemedebistas entendem que tem que ajudar o Brasil".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.