Côrtes acusa Pezão de corrupção, e governador o acusa de mentir

Ex-secretário de Saúde do governo de Sérgio Cabral diz que atual governador do Rio utilizava empresário detentor de contratos com o Estado como 'contribuinte'

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

02 Março 2018 | 21h13

RIO - Sérgio Côrtes, ex-secretário de Saúde do governo de Sérgio Cabral Filho (MDB), disse em depoimento nesta sexta-feira, 2, que um empresário detentor de contratos com o Estado virou "contribuinte" do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), e de Cabral.

No início de seu depoimento à 7ª Vara Federal Criminal , nesta sexta-feira, o ex-secretário disse que, quando falasse "contribuição", se referiria a propina. Côrtes contou que o empresário Ronald de Carvalho é dono de uma empresa fornecedora de contêineres para obras do governo para as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Ele disse também que teria sido apresentado ao empresário por Pezão. A empresa de contêineres fica em Barra do Piraí, município onde o atual governador iniciou sua carreira política. Em 2011, o governo anunciou que iria investigar a situação da empresa, quando Pezão era vice-governador de Cabral. Na época, Pezão disse que era amigo de Ronald havia mais de 40 anos e afirmou não acreditar que ele cometeria qualquer irregularidade.

Pezão divulgou nota dizendo que repudia "veementemente essa mentira sórdida, que vem de uma pessoa que não fez parte" do seu secretariado". "A afirmação absurda é um ato de desespero de alguém que já admitiu ser corrupto, esteve preso, vem sendo acusado frequentemente de corrupção e não honrou a classe médica", diz a nota, em referência a Côrtes. "Agora, inventa mentiras para amenizar sua pena forçando uma delação premiada, com afirmações que são falsas e mentirosas", disse. O Estado não conseguiu falar com Ronald de Carvalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.