Corte no Orçamento já estava previsto, diz Madeira

O líder do governo na Câmara, deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP), disse hoje que o corte de R$ 5,3 bilhões no Orçamento da União deste ano, anunciado no início da tarde pelos ministros da Fazenda, Pedro Malan, e do Planejamento, Orçamento e Gestão, Guilherme Dias, já havia sido previamente comunicado quando o governo informou que, se houvesse maior atraso na votação da proposta de emenda constitucional que prorroga a vigência da CPMF, teria que ajustar as despesas à nova estimativa de receita. Segundo Madeira, o governo estaria violando a Lei de Responsabilidade Fiscal se não fizesse o corte. Ele reconheceu que o corte no orçamento não é bom para o País, pois poderá resultar na paralisação de obras e projetos importantes. Mas, segundo ele, seria pior se o governo continuasse gastando sem ter receita suficiente. "Senão, vamos para o caminho da Argentina, e isso o governo não vai permitir", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.