Corte no orçamento federal deve ser de R$ 16 bi

O corte nas despesas do Orçamento federal de 2006 deverá ficar próximo de R$ 16 bilhões. Sem querer falar precisamente qual o valor, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, admitiu, nesta segunda-feira, que o tradicional bloqueio realizado nos gastos ficará próximo do de 2005, que foi de R$ 15,9 bilhões. "Acho que é perto disso", disse. "Vou levar o número que nós temos ao presidente Lula", afirmou.O ministro afirmou que os cortes no Orçamento - que estava previsto para ser sancionado nesta segunda-feira por Lula - serão em volume suficiente para garantir o cumprimento da meta de superávit primário - economia para o pagamento de juros da dívida - de 4,25% do Produto Interno Bruto (PIB). "Será totalmente compatível com a meta".Segundo Bernardo, o anúncio do contingenciamento das despesas deverá ser feito hoje de manhã. Já se sabe que os investimentos públicos, que na proposta aprovada pelo Congresso somam cerca de R$ 21 bilhões, serão os maiores afetados. Isto acontece tradicionalmente, porque a maior parte dos gastos orçamentários são obrigatórios, definidos na Constituição Federal. O ministro Paulo Bernardo não informou sequer se o Orçamento de segurança pública, que está no centro do noticiário por conta dos ataques do PCC em São Paulo, será preservado. Durante a entrevista, Bernardo disse que os problemas que ocorrem no Estado não podem ser atribuídos à falta de recursos federais porque as transferências a Estados e Municípios teriam crescido 23% em termos reais em 2005, ante 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.