Gustavo Lima
Gustavo Lima

Corte Especial do STJ destrava processo contra Pimentel

Autos da investigação serão encaminhados ao relator Herman Benjamin

Rafael Moraes Moura e Breno Pires, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2017 | 19h03

BRASÍLIA - A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) destravou nesta quarta-feira, 17, um processo no qual o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Pimentel teria recebido propina da montadora de veículos CAOA para favorecê-la no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, pasta que comandou de 2011 a 2014 durante o primeiro mandato de Dilma Rousseff (PT).

Em maio do ano passado, a Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou o governador ao STJ. Em outubro, em um julgamento marcado por bate-boca e troca de acusações entre ministros, a Corte Especial do STJ decidiu, por 8 votos a 6, que a abertura de ação penal contra o governador depende de uma prévia autorização da Assembleia Legislativa mineira. 

No entanto, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu no inicio deste mês que a abertura de ação penal contra governadores de todo o País não depende do aval de deputados estaduais.

Nesta quarta-feira, os ministros da Corte Especial do STJ estabeleceram que a decisão do STF é vinculativa e, portanto, deve-se dar “regular processamento” ao caso de Pimentel. Dessa forma, os autos do processo serão encaminhados ao relator, ministro Herman Benjamin, para a adoção das providências cabíveis.

A Corte Especial é composta pelos 15 ministros mais antigos do tribunal e julga as ações penais contra governadores. A pauta é definida pela presidente do STJ, ministra Laurita Vaz. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.