Corte de pensões tem de ser enfrentado, diz deputado

Apesar dos sucessivos adiamentos por parte da Mesa Diretora da Câmara para discutir o corte de pensões e aposentadorias de ministros do Tribunal de Contas da União (TCU), o primeiro-secretário da Casa, deputado Márcio Bittar (PSDB-AC), diz que o tema tem de ser enfrentado pela cúpula do Legislativo ainda em 2013.

ERICH DECAT E FÁBIO FABRINI, Agência Estado

05 Dezembro 2013 | 19h27

"Se alguém está achando que, em razão de estarmos já no final do ano, que isso será levado sem uma definição, é um erro. A Mesa tem de se posicionar", afirmou. "Se alguém foi convencido nesse meio-tempo a alterar a sua posição, que coloque os seus argumentos. O que não pode é esse assunto deixar de ser resolvido", acrescentou.

No dia 21, o terceiro-secretário da Câmara, Maurício Quintella Lessa (PR-AL), pediu, oficialmente, à direção-geral do Parlamento um parecer sobre a situação dos ministros do TCU. A previsão era que o documento fosse apresentado uma semana depois, o que não aconteceu até o momento. "Enquanto o Henrique não pautar (na Mesa), a gente não tem como discutir", afirmou o segundo vice-presidente Fábio Faria (PSD-RN). Já Lessa afirma que o documento deve ser apresentado no início da próxima semana. "Vamos ter de tomar uma posição até a próxima semana."

Mais conteúdo sobre:
Supersalários TCU Câmara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.