Corrupção é 'pontual' no Brasil, diz Mangabeira Unger

Antes de virar ministro na gestão de Lula, acusou o governo do presidente de ser o 'mais corrupto da história'

EDUARDO KATTAH, Agencia Estado

11 de setembro de 2007 | 18h55

O secretário de Planejamento de Longo Prazo, Roberto Mangabeira Unger, afirmou nesta terça-feira, 11, que o Brasil não vive um problema "sistêmico de corrupção". "Nós temos problemas pontuais", disse Mangabeira Unger, para quem o sistema político nacional, ao contrário do que muitas vezes se faz aparentar, "não está eivado de corrupção". "Sou um estudioso do mundo e eu lhes digo que entre os países de renda média, o Brasil é o País onde há menos corrupção. Não é verdade que haja um problema sistêmico de corrupção no Brasil", afirmou o secretário, que se reuniu com o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), no Palácio da Liberdade.Mangabeira Unger causou polêmica recentemente ao assumir o cargo na administração federal depois de escrever um artigo em que acusou o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de ser o "mais corrupto da história". Em junho, ao assumir o cargo, Mangabeira Unger fez um discurso com elogios à "magnanimidade" de Lula por nomeá-lo. "Claro que todos nós no Brasil, todos os cidadãos, queremos libertar a política da sombra corruptora do dinheiro. Essa é uma reivindicação de todo cidadão brasileiro", observou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.