Correspondente do 'Estadão' em Paris debate na ONU

A ONU realizou nesta quinta, em Nova York, debate sobre a segurança de jornalistas em zona de guerra com a participação do correspondente do jornal O Estado de S. Paulo em Paris, Andrei Netto, preso pelas autoridades de Muamar Kadafi quando cobria a Revolução Líbia em 2011.

GUSTAVO CHACRA, Agência Estado

04 Maio 2012 | 08h30

O evento discutiu como adotar a resolução 1738, do Conselho de Segurança, entendendo os perigos enfrentados pelos correspondentes em zonas de conflito. Em 2011, 60 foram mortos nessa situação e, neste ano, 19. Na Síria, devido a restrições para a circulação de jornalistas, muitos arriscam a vida para fazer o seu trabalho. Andrei Netto criticou as mortes de jornalistas em países democráticos. "É essencial proteger jornalistas onde há democracia. Em zonas de conflito é difícil." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
ONU debate

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.