Correligionários de Cid Gomes são retirados do plenário da Câmara

Parlamentares do PROS deixaram a sessão por determinação do presidente da Casa após o ministro da Educação fazer duras críticas aos deputados

DAIENE CARDOSO, O Estado de S. Paulo

18 de março de 2015 | 17h01

Brasília - A sessão da Comissão Geral da Câmara dos Deputados desta tarde, com a presença do ministro da Educação, Cid Gomes, transformou-se em um intenso bate-boca. Sob esse "clima pesado", correligionários do ex-governador do Ceará que acompanhavam a sessão foram retirados da galeria, a pedido do presidente da Casa, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Com isso, acompanham Cid no plenário o governador do Ceará, Camilo Santana, e os prefeitos de Fortaleza, Cláudio Roberto, e de Sobral, Veveu Arruda.

Cid, que sugeriu aos parlamentares governistas mudarem para a oposição e "largarem o osso", agora ouve calado uma sequência de líderes partidários pedindo sua saída do ministério.

O ponto alto das discussões foi quando o ministro disse que preferia ser chamado de mal-educado do que, apontando ao presidente da Casa, de achacador. "Terei e sempre tive profundo respeito pelo Parlamento, mas isso não quer dizer que concorde com a postura de alguns, de vários, de muitos, mesmo estando no governo tendo uma postura de oportunismo", acusou.

A maioria dos líderes subiu à tribuna pedindo a saída de Cid da pasta alegando que, ao dizer que há 400 achacadores na Câmara, ele perdeu a condição de permanecer no cargo.

O líder do PSC, André Moura (SE), lembrou que quando foi governador, Cid levou a sogra para viajar à Europa em jato fretado pelo governo cearense, que pagou R$ 650 mil em um show para inauguração de um hospital em Sobral, sua terra natal, e o chamou de "achacador do Estado do Ceará". "Vi que Vossa Excelência é fã de Ivete Sangalo", ironizou Moura. "O senhor me respeite", esbravejou Cid. Coube ao líder do PROS, Domingos Neto (CE), sair em defesa do ministro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.