Correios e bombeiros são quase tão confiáveis quanto famílias

Pesquisa da Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo (FIA-USP), divulgada nesta quinta-feira, mostra a família como a instituição mais confiável para 94% dos 17 mil entrevistados em todo o País.Em seguida vêm, empatados, Correios e bombeiros, com 93%. Depois estão ciência e tecnologia (80%), Forças Armadas (74%), igreja (72%). O último colocado, em 18º lugar, foi o partido político (7%), antecedido pelo governo (15%).A pesquisa foi encomendada pelos Correios, para avaliar seu desempenho e é feita desde 1995. Segundo o presidente dos Correios, Humberto Mota, o resultado aumenta a responsabilidade. "Estamos entre os cinco melhores do mundo e somos o 13º em faturamento", afirma. "Ouvi, numa palestra, as diversas mortes anunciadas do correio. Primeiro, com o telégrafo. Depois, o telefone, o fax e a internet. Mas, conforme a tecnologia avança, a empresa se transforma. A internet abriu mais oportunidades de negócios."Neste ano, a empresa deve ter R$ 400 milhões de lucro, R$ 100 milhões a menos do que em 2001, por causa do dólar e da correção da tarifa só em agosto, entre outros motivos. Em 2002, os investimentos somaram R$ 640 milhões. No próximo ano devem ser R$ 800 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.