Corregedoria vai investigar denúncias contra Inocêncio

O corregedor-geral da Câmara, Barbosa Neto (PMDB-GO), vai criar uma comissão formada por parlamentares para investigar as denúncias encaminhadas pelo procurador da República do Distrito Federal, Celso Três, que acusa o líder do PFL, deputado Inocêncio Oliveira (PE), de quebra de decoro. Segundo o procurador, Inocêncio teria mantido cerca 58 pessoas trabalhando em regime de semi-escravidão, na fazenda Canaíba, de sua propriedade, no Maranhão.O corregedor da Câmara propõe que os presidentes das comissões de Direitos Humanos, Orlando Fantasini (PT-SP) e do Trabalho, Rodrigo Maia (PFL-RJ), visitem a fazenda e verifiquem as condições citadas no documento encaminhado pelo procurador. O assunto deverá ser analisado pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. Ainda hoje, a corregedoria-geral da Câmara deverá divulgar uma nota a respeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.