ALEX SILVA | ESTADAO CONTEUDO
ALEX SILVA | ESTADAO CONTEUDO

Corregedoria de Justiça recebeu três reclamações disciplinares contra Moro por áudio

Pedidos foram protocolados pelo Sindicato dos Advogados da Paraíba, por um advogado do Maranhão e por um cidadão do DF; cabe à corregedora nacional de Justiça decidir se ocorrerá a abertura de processo administrativo contra Sérgio Moro

Beatriz Bulla, O Estado de S.Paulo

17 Março 2016 | 18h51

Brasília - A Corregedoria Nacional de Justiça já recebeu, até o fim da tarde desta quinta-feira, 17, três representações com pedidos para investigar o ato do juiz Sérgio Moro de tornar públicos áudios interceptados em que a presidente Dilma Rousseff foi gravada. Os casos são mantidos em sigilo no órgão, ligado ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), mas as informações foram confirmadas pelo Estadão.

As três representações encaminhadas à Corregedoria já foram convertidas em reclamação disciplinar. Um dos pedidos foi protocolado pelo Sindicato dos Advogados da Paraíba. A segunda representação encaminhada ao órgão veio de um advogado do Maranhão e a terceira, de um cidadão do Distrito Federal.

A estratégia de recorrer ao CNJ contra Moro também é discutida entre parlamentares da base aliada e no governo.

Os casos que já chegaram ao órgão foram encaminhados para a corregedora nacional de Justiça, Nancy Andrighi, que irá instruir cada um dos casos com informações. Em regra, a ministra costuma levar ao plenário do CNJ os casos em que verifica a presença de requisitos para abrir um processo administrativo disciplinar. Caberia ao pleno, portanto, decidir sobre a abertura de um processo administrativo contra Moro.

O CNJ pode estabelecer sanções aos juízes que cometem infrações disciplinares, como advertências, suspensões ou até afastamento das funções.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.