Corregedoria da Câmara recebe relatório da PF sobre Landim

Já está na Corregedoria-Geral da Câmara relatório da Polícia Federal contendo denúncias sobre o suposto envolvimento do deputado Pinheiro Landim (PMDB-CE) com a quadrilha ligada ao traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar. Com base na documentação, a Corregedoria vai abrir uma sindicância, primeiro passo para a oficialização de processo de cassação do mandato de Landim.O corregedor-geral, deputado Barbosa Neto (PMDB-GO), requisitou a documentação para saber detalhes de um esquema de liberação de habeas-corpus em favor de traficantes, supostamente coordenado por Pinheiro Landim. Durante a sindicância, testemunhas e o próprio deputado do PMDB do Ceará serão ouvidos pelo corregedor. Ao final da apuração, será encaminhado à presidência da Câmara parecer da Corregedoria recomendando ou não a cassação do mandato de Landim.Em seguida, o parecer deve ser enviado ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, responsável pela abertura de processo de cassação. Por causa do recesso parlamentar, a sindicância só deve ser iniciada em fevereiro, após a posse dos novos parlamentares. Depois de uma longa investigação, a PF concluiu que Landim usava até mesmo um pequeno madeireiro de Brasília para fazer a lavagem de dinheiro, que seria proveniente do esquema de concessão de habeas-corpus.Os relatórios da Polícia Federal mostram que o deputado cearense teria tentado intermediar sete habeas-corpus para beneficiar vários traficantes, entre eles três colombianos. Faz parte da quadrilha o fazendeiro Leonardo Dias Mendonça, o Léo, que foi preso pelos agentes da PF. O tráfico e suas conexões

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.