Corregedoria arquiva 15 processos contra Eduardo Jorge

A Corregedoria-Geral da União arquivou 15 dos 18 processos abertos contra o ex-secretário-geral da Presidência da República, Eduardo Jorge. Todos eles apuraram denúncias - consideradas infundadas - de envolvimento de EJ nos desvios de verba praticados durante a construção do prédio do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo e na concessão de empréstimos subsidiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). De acordo com a corregedora-geral, Anadyr de Mendonça Rodrigues, as denúncias dos 15 processos arquivados baseavam-se em reportagens publicadas pela imprensa, sem a indicação de provas. No caso do TRT paulista, ele lembrou que as irregularidades já são objeto de investigação realizada pelo Ministério Público de São Paulo: "O nome de Eduardo Jorge, inclusive, foi excluído como réu do processo, por decisão judicial, pela inexistência de prova incriminadora." Sobre as suspeitas de financiamento irregular concedido pelo BNDES, Anadyr declarou não haver nenhum evidência capaz de motivar a abertura de investigações. A Corregedoria chegou a consultar a Procuradoria-Geral da República para saber se havia processos abertos apurar a concessão de tais empréstimos. "As informações recebidas não indicaram a existência de irregularidades a apurar", finalizou. Permanecem sob investigação, porém, a suposta participação do ex-secretário no pagamento de um precatório judicial do DNER em favor de uma empresa e seu envolvimento no processo de escolha da direção da Sasse, seguradora ligada à Caixa Econômica Federal. "As medidas não impedem outras providências que se fizerem necessárias, quer em virtude das conclusões a que cheguem procedimentos investigatórios movidos nos órgãos competentes, quer em face de novas notícias", disse Anadyr. Uma série de documentos enviados pelo próprio Eduardo Jorge, como cópias de certidões e trechos de seu depoimento prestado à Comissão de Fiscalização e Controle do Senado, em agosto do ano passado, acabou sendo usada para subsidiar a análise dos processos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.