Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

Corregedora da Assembleia paulista diz desconhecer ação para divulgar lista de servidores

De acordo com a deputada Célia Leão (PSDB), a Corregedoria 'não tem nada a ver com essa história'

Jair Stangler, do estadão.com.br

30 de novembro de 2011 | 18h56

A corregedora da Assembleia Legislativa de São Paulo, Célia Leão (PSDB), afirmou que desconhece a ação que pede a divulgação da lista completa de servidores da Casa. Em entrevista ao estadão.com.br, Celia disse ser a favor da revelação da lista mas defende que a Corregedoria da Assembleia "não tem nada a ver com essa história”. "Não existe nenhum criminoso na lista dos funcionários", declarou.

 

A luta na Justiça pela divulgação da lista completa com nomes e funções dos quase 4 mil funcionários da Assembleia começou há 11 anos. Na última decisão, a Justiça de SP ordenou que o Legislativo tornasse pública a lista em “periódico oficial”. A Casa, no entanto, usa a justificativa de que ainda não recebeu a notificação da decisão.

 

Ninguém sabe exatamente o total de gastos com folha de pessoal dos 94 deputados paulistas. Em reportagem publicada no domingo, 28, o ‘Estado’ mostrou que o Legislativo de São Paulo mantém funcionários comissionados que cumprem jornada dupla, muitas vezes em cidades distantes, e que, não raro, não são vistos na Casa.

Leia abaixo a entrevista com a corregedora da Assembleia:

O que a senhora achou da decisão da Justiça de obrigar a Assembleia a divulgar a lista completa de servidores da Casa?

Célia Leão: Nós temos uma mesa diretiva dos trabalhos e quem responde por isso é essa mesa. Se tem uma ordem a ser cumprida, certamente será cumprida. A Assembleia não se furtará a fazer isso, mas com a decisão da presidência e dos secretários. É um assunto que tem de ser resolvido, não é em particular, não é por um deputado, por um gabinete, mas pelo conjunto da Casa. Se não fizeram até hoje, eu não sei lhe dizer o porquê que não fizeram.

Não há nada que a corregedoria possa fazer?

CL: A corregedoria não tem nada a ver com essa história.

Pessoalmente, a senhora defende a divulgação da lista dos funcionários?

CL: Eu não vejo nenhum problema para isso, até porque não existe nenhum criminoso na lista dos funcionários. Mas é uma decisão da Casa. O que a Casa decidir, certamente nós deputados acataremos como parlamentares com seus gabinetes.

A senhora não tem nenhuma ideia do porquê até hoje nunca se fez nada a respeito?

CL: Não, não tenho. É um assunto que nunca passou por mim. Aliás, nem sabia que existia essa ação. Estou ouvindo falar pela primeira vez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.