Corregedor diz que há indícios contra procurador do DF

O corregedor-geral do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Sandro Neis, adiantou, no relatório que está lendo nesta tarde sobre a suspeita de faltas disciplinares contra o procurador-geral de Justiça do Distrito Federal, Leonardo Bandarra, e a promotora Deborah Guerner, que há elementos suficientes que justificam instauração de um processo administrativo disciplinar contra os representantes do Ministério Público do DF.

ROSA COSTA, Agência Estado

07 de junho de 2010 | 16h53

No início do seu parecer, Neis descartou a defesa feita por Bandarra, que se disse vítima de um movimento de retaliação de pessoas que sofreram ou iriam sofrer ações do Ministério Público, e da promotora, que alegou a inviabilidade de utilizar elementos de prova criminal num processo administrativo.

O corregedor afirmou, mais de uma vez, que existem indícios, "vestígios ou provas" que confirmariam a reclamação disciplinar existente contra Bandarra e Guerner. Os dois são acusados por Durval Barbosa, principal delator da Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal, de terem recebido propina para facilitar irregularidades e de tentarem atrapalhar as investigações.

Depois que o corregedor-geral do CNMP terminar a leitura do seu relatório, será a vez do advogado de Bandarra apresentar sua defesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.