Corregedor discute normas para grampo

O corregedor nacional de Justiça, Gilson Dipp, discutiu ontem com representantes de operadoras de telefonia formas de tentar tornar mais seguras as quebras de sigilo ordenadas pela Justiça e evitar o grampo ilegal. Dipp integra o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que decidiu tomar providências após terem sido descobertas falsificações em quebras de sigilos em São Paulo, em que foram indiciadas 16 pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.