Corregedor consulta PF sobre acusações contra Lobão Filho

Tuma quer saber se há alguma investigação sobre o uso de 'laranjas' pelo suplente do novo ministro

Agência Senado

22 de janeiro de 2008 | 14h26

O corregedor do Senado, senador Romeu Tuma (PTB-SP), afirmou nesta terça-feira, 22, que já está tomando providências em relação às acusações que pesam sobre Lobão Filho - primeiro suplente do senador licenciado Edison Lobão, que assumiu o cargo de ministro de Minas e Energia. O senador disse que está consultando, na Polícia Federal, a existência de alguma investigação sobre o caso e se há documentos que comprovem as denúncias publicadas na imprensa. Tuma disse que também pretender conversar, ainda nesta terça-feira, com o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, sobre possível processo contra Lobão Filho por utilização de procuração falsa. "São denúncias graves. Agora, têm que ser comprovadas", disse o corregedor. Em relação à possibilidade de Lobão Filho assumir e se licenciar imediatamente para fazer sua defesa sem o foro privilegiado, Tuma disse que, de acordo com as entrevistas, essa estratégia foi aconselhada por seu pai, Edison Lobão. Questionado por jornalistas se daria esse conselho a seu filho, Tuma afirmou que não daria esse conselho porque seu filho nunca sofreu uma acusação como a que Lobão Filho está enfrentando. "Não quero nem pensar nessa hipótese. Teria profundo desgosto em ter que aconselhar meu filho a não assumir um cargo político para o qual, dentro da lei, foi escolhido", disse.

Mais conteúdo sobre:
Lobão FilhoSenado Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.